Exposição Manifesto - Artista Prozak 

#BOMBAANTICARETICE #POLITICAePROVOCAÇÃO conecta a atual e pulsante obra de Prozak e o cenário em que a New Wave surgiu no Brasil, nos anos 1980, quando o país se mobilizava pelas Diretas Já, buscando a democracia perdida e celebrando o fim da ditadura militar. Não por acaso, a energia e a vibração do Manifesto do artista se faz presente como uma bomba antimonotonia nesse momento de tantos retrocessos políticos e comportamentais, pontuado pela volta de uma caretice de proporções assustadoras que toma para si o direito de reprimir a livre expressão da sexualidade, da conduta pessoal do gênero e a definição de família, por exemplo. A obra de Prozak aqui exposta é de resistência criativa, um coquetel molotov de tinta colorida e cítrica sobre essa ordem obscurantista e plúmbea que insiste em voltar. Sua experimentação técnica, que alia formação acadêmica com os sotaques aprendidos nas ruas, rima com a produção elaborada e a complexidade lírica que deu nova roupagem à simplicidade sonora da música New Wave, divertida e colorida, ainda que irônica e despretensiosamente engajada em representar uma geração por meio de grafismos, assimetrias e ângulos, dos cabelos aos pés. Como aquela sonoridade, o Manifesto de Prozak é rápido e agitado. Sua pintura, como aqueles sons, também tem mudanças de andamento, indo do jato ligeiro e preciso a um detalhamento precioso e delicado.
Seu traço freestyle – uma reação enérgica que dá vida aos portões e muros, à cidade –, agora invade as paredes da Tag Gallery, mostrando sua habilidade de colecionador de informações aliada ao domínio técnico no uso de cores cítricas/fluo. O contraste entre “pinceladas” mais densas e cores transparentes unem e revelam novos tons, novas informações e novos códigos visuais. Psicodélico e ácido, o Manifesto de Prozak é doce e inquieto. Tem a cara da geração hipervisual e fragmentada, que se manifesta e se comunica por meio de emoji-heróis, na falta de respostas melhores frente ao violento mundo em que #todossomosrefugiados. JACKSON ARAUJO